Bornavírus

Doença de Borna/ Doença da dilatação proventricular (PDD)

Serviços

Adquira os seus serviços na área de cliente

Descrição

O bornavírus aviário (ABV, do inglês Avian Bornavirus) é um vírus da família Bornaviridae, e é o agente viral que causa a doença de Borna. Os vírus desta família afetam aves, equinos, bovinos e ovinos, entre outros. O bornavírus é um vírus de RNA, neurotrópico, ou seja, infeta preferencialmente células do sistema nervoso. Pensa-se que o bornavirus é o principal agente causador da doença da dilatação proventricular (PDD, do inglês Proventricular dilatation disease), tendo sido descrito em psitaciformes pela primeira vez em 2008, que sofriam de PDD, pela Universidade da Califórnia

Diagnóstico

Existem dois métodos para deteção de bornavírus: (1) método serológico (ELISA) que deteta anticorpos gerados contra o vírus pelo sistema imunitário da ave e que indica se o animal já esteve exposto ao vírus e (2) método molecular (RT-PCR) que deteta a presença do RNA viral no animal.

Sintomas e transmissão

O bornavírus causa uma infeção persistente no sistema nervoso central que se pode causar sintomatologia de diferentes intensidades, indo desde alterações comportamentais até doença neurológica grave. As aves que apresentam doença da dilatação proventricular (PDD), não conseguem digerir os alimentos adequadamente e em algumas a parede do proventriculo está de tal forma dilatada que pode romper e provocar a entrada de alimentos não digeridos na cavidade abdominal, levando a infeções graves e muitas vezes à morte rápida do animal. Os sintomas indicativos de PDD incluem perda de peso prolongada, apesar do animal se alimentar bem, problemas digestivos, vómitos e distensão abdominal. A nível neurológico podem-se observar tremores intermitentes da cabeça da ave, falta de equilíbrio e convulsões.

De notar que uma ave infetada com bornavírus pode não desenvolver sintomas de doença durante anos, contudo continua a transmitir o vírus a outras aves. O modo de transmissão do bornavírus atualmente ainda não está totalmente descrito, mas pensa-se que a transmissão ocorra principalmente por contacto direto e por exposição a material fecal infetado.

Tipos de amostra

* Fezes

* Zaragatoa cloacal

* Amostras post-mortem: tecido cerebral ou proventricular

IMPORTANTE: Enviar a amostra o mais rapidamente possivel para análise, uma vez que o RNA viral se degrada facilmente, levando a uma elevada percentagem de falsos negativos. A correta recolha da amostra é um passo fundamental para realização de qualquer análise. Por favor, consulte as instruções para recolha e submissão de cada tipo de amostra no seguinte link. Contacte-nos caso necessite de assistência, estamos sempre disponíveis para qualquer questão.

Limitações: Como em qualquer teste genético, podem ocorrer pontualmente novas mutações no genoma viral, tornando difícil detetar todos os subtipos.

Método laboratorial

PCR em tempo real (Real-time PCR)

Resultados

Os resultados serão enviados por email e colocados na área reservada do cliente em 24-72 horas após receção das amostras no laboratório

Caso seja do interesse do cliente, também existe a possibilidade de emitir os certificados de análise em papel e enviar os mesmos por correio.